16 Curiosidades horríveis sobre Vlad, o Empalador

Vlad o Empalador! Até o nome dele soa sinistro. Ele é uma das figuras mais revigoradas da história, e é lembrado como um líder sanguinário e sem qualquer piedade. Seu amor pelas pessoas empaladas lhe rendeu um lugar especial na imaginação obscura do público. Há quem afirme que ele foi a inspiração real para o Conde Drácula do romancista Bram Stoker, um vampiro nobre, que como Vlad, gostava de fazer buracos nas pessoas…

Mas, quem era o Vlad, o Empalador, realmente? Um dos governantes mais cruéis da história? Ele nasceu por volta de 1430 como príncipe na Valáquia, onde hoje é a Romênia. Vlad nasceu em um momento turbulento da história da Romênia. O império otomano, de religião muçulmana era agressivo e estava em constante expansão. Vlad, era um jovem governante que se esforçava para simplesmente manter-se no trono que herdou, foi obrigado a cumprir o seu papel de defensor de suas terras contra a agressão de um Exército muito maior… E até entrou em conflito contra os saxões.

Embora isso possa parecer como uma história heroica e bem sucedida, as táticas de batalha usadas por Vlad eram obscuras e complicadas. Suas campanhas contra os otomanos, saxões e outros rivais foram forjadas em sangue, muito sangue. Os atos sangrentos de Vlad contribuíram para a lenda do Empalador.

Como é a morte por empalamento? Bom, imagine uma estaca de madeira grande e afiada enfiada no seu orifício anal, vaginal ou umbilical, imaginou? Pois é só o começo… Enquanto você se torna um espetinho humano, a estaca é suspensa verticalmente, e o peso de seu corpo vai fazer com que a estaca afiada entre dentro do seu corpo vagarosamente. A morte não é imediata, pode durar dias!

 

Confira estas 16 Curiosidades sobre Vlad, o Empalador! A matéria está dividida em duas páginas!

 

 

1-Seu ódio pelos otomanos começou quando eles o fizeram de refém

A juventude de Vlad foi vivida no coração do Império Otomano como refém. Como resultado do conflito entre o Império Otomano e as terras de Vlad na Valáquia, o príncipe adolescente e seu irmão mais novo Radu, foram pegos pelo Sultão Murad II como reféns. Enquanto seu pai, o Rei da Valáquia, não se rendeu aos otomanos, acreditando que seus filhos estariam bem. Murad poupou suas vidas e, eventualmente, liberou os príncipes Valaquianos. Embora o tempo de Vlad como refém possa ter desenvolvido nele uma estranha sede de sangue, isso não pareceu incomodar seu irmão mais novo. O jovem Radu parece ter aproveitado a vida em cativeiro: ele fez amizade com muitos otomanos e até se converteu ao islamismo.

 

 

2- O assassinado de seu Pai o levou ao poder

Quando o jovem príncipe recém-chegado retornou à Valáquia em 1448, não era exatamente o regresso a casa que ele esperava. Tanto seu pai quanto o irmão mais velho, e herdeiro do trono, haviam sido assassinados pelos nobres da Valáquia. Vlad era o próximo a assumir o trono, mas ele teve que lutar para conquistá-lo. Depois de ser deposto e forçado ao exílio, ele recuperou o trono novamente em 1456. Com todo um império sob suas ordens, ele podia por em prática todos os seus desejos sangrentos e frenéticos: a maioria de suas atrocidades são desse período.

 

 

3- Ele chegou a empalar 20 mil pessoas em um dia!

Talvez o clímax do desejo de empalar pessoas por Vlad começou em 1462. Depois de fugir de um avanço otomano, Vlad deixou uma chamada “Floresta dos Empalados” em seu rastro. De acordo com as contas, nada menos que 20.000 prisioneiros de guerra haviam sido empalados, seus corpos estavam em decomposição sobre as estacas de madeira. A questão de saber se foram realmente 20 mil pessoas continua a ser discutível; Mas Vlad, no entanto, construiu aí uma reputação de usar táticas de guerra horríveis.

 

 

4- Ele empalou inimigos para assustar as pessoas

Empalar seres humanos em grandes estacas não era apenas para puni-los, Vlad sabia que o horrível espetáculo tinha outras utilidades. Parte da razão pela qual as pessoas eram empaladas por Vlad, era para que colocassem medo em seus inimigos: o empalhamento era usado como dissuasor.

 

 

5-Ele pregou turbantes na cabeça de muçulmanos

Talvez uma das histórias mais cruéis no vasto repertório de Vlad, envolva seus maiores inimigos: os otomanos. O sultão enviou um grupo de seus homens para se encontrar com Vlad. Quando foram apresentados ao governante da Valáquia, eles não removeram seus turbantes. Não era nada pessoal, alegavam que era apenas um costume religioso. Vlad não gostou nada disso. Ele então disse que ele iria ajudá-los a manter seus turbantes seguros, e ele fez isso, pregando-os na cabeça deles.

 

 

6- Ele realmente foi uma inspiração para o nome ‘Drácula’ 

O nome “Drácula”, talvez o nome do vampiro mais famoso na imaginação popular, pode ter vindo diretamente do próprio Vlad. Seu pai era membro da Ordem do Dragão, uma organização dedicada a destruir os otomanos. Ele usava o codinome: “Vlad Dracul”, ou “Vlad the Dragon”. Seu filho herdou a propensão para nomes de dragões, e assim assinou seu nome “Vlad Drakulya”, ou “Filho do Dragão”. Bram Stoker, escritor do romance ‘Drácula’, transformar “Drakulya” em “Dracula” para o seu famoso romance, continua a ser uma questão muito contestada.

 

 

7- Ele literalmente lavou suas mãos no sangue de inimigos

Graças a suas táticas aterrorizantes, histórias horríveis começaram a circular sobre o suposto desejo de sangue de Vlad. Empalar pessoas não estava ruim o suficiente; Essas histórias revelam que ele realmente tinha uma grande atração por sangue. Um texto da época, por exemplo, se dedicou a apreciar as depravações de Vlad. Entre a lista de reclamações? Ele constatemente lavava as mãos no sangue de suas vítimas.

 

 

8- Seus inimigos alegaram que ele empalava mães e bebês juntos

Vlad não era apenas antagonista com os otomanos. Partes da Transilvânia também eram vulneráveis ​​à sua ira. Ele mesmo atacou civis… Não só queimou fazendas e envenenou água de poços, mas também empalou homens, mulheres e, de acordo com alguns, até mesmo crianças. Um relato da época até afirmou que Vlad empalava bebês que ainda estavam sendo amamentados.

 

 

9- Ele já pagou pessoas doentes para espalhar seus germes para os otomanos

Entre o variado repertório de táticas de batalha de Vlad, uma técnica bastante nova para o período: Guerra biológica. Em sua campanha contra os otomanos, ele sentiu que seria mais fácil derrotar um exército doente do que um saudável. Então, ele pensou fora da caixa… Vlad realmente pagou pessoas doentes para ir para os campos otomanos na esperança de que eles espalhassem sua doença e causassem uma epidemia.

 

 

10- Ele chegou a confundir o exercito otomano, fazendo com que eles mesmos se matassem

Vlad empregou táticas de guerrilha para impedir o gigante exército otomano. Em uma noite em 1462, Vlad liderou seu exército em um ataque rápido e surpresa em um campo otomano, com a esperança de assassinar o sultão. Os homens de Vlad se arrastaram até o acampamento, e então, vestiram as roupas dos otomanos. Embora o ataque tenha terminado com a retirada de Vlad, o tumulto causou o caos suficiente para que os otomanos começassem a matar uns aos outros, sem saber quem era o inimigo real.

 

PRÓXIMA PÁGINA>>

Um cara estranho que fica na internet o dia inteiro procurando coisas que consigam lhe deixar assustado, tomando vinho e fumando Hollywood.

Comentários no Facebook