15 Notórias assassinas em série femininas!

Ainda vivemos em uma sociedade muito masculina. Certamente, as mulheres percorreram um longo caminho ao longo dos séculos para igualar as coisas, mas pode haver uma área em que as senhoras provaram ser tão habilidosas e eficientes quanto os homens, sem precisar de nenhuma manifestação publica para nos mostrar isso…

Todos sabemos que a mente de uma mulher é sempre mais detalhista que a mente de um homem em todos os assuntos, sejam estudos, jogos, compras, amor ou ódio. Normalmente, as mulheres foram caçadas ao invés de serem caçadoras quando se trata de assassinos em série, normalmente os seriais killers homens, sempre preferiram ter as mulheres como suas vitimas.

Mas quando uma mulher supera suas emoções e vai longe o suficiente para perder a cabeça, um diabo nasce dentro de sua mente. Ela se torna uma verdadeira maníaca, uma máquina de matar.

Aqui está uma lista de 15 das mais notórias assassinas em série do mundo… A matéria está dividida em 2 páginas! Confira:

 

1- Charlene Gallego

Tendo seu marido, Gerald, como parceiro. Charlene teve vários escravos sexuais. Os dois torturavam e depois atiravam suas vítimas com uma preferência de ser sempre na cabeça. Após a apreensão, Charlene testemunhou contra o marido no estado da Califórnia, de modo que não foi acusada. No entanto, ela foi considerada culpada em Nevada. Condenada a 16 anos 8 Meses de prisão.

 

 

2- Maria Swanenburg

Swanenburg viveu de 1839 a 1915, cuidando de crianças doentes em seu bairro de Leiden. Esta notória assassina em série estava ligada a dezenas de assassinatos, até mesmo de membros de sua própria família. Na década de 1880, ela estava envolvida numa série de intoxicações por arsênico. Havia 102 pessoas afetadas pelo produto químico com 27 mortes, incluindo a mãe de Swanenburg. Aqueles que sobreviveram sofreram graves problemas de saúde. Seu motivo para matar seria para roubar heranças das vítimas. Ela foi condenada a pena perpétua.

 

 

3- Waneta Hoyt

Esta assassina e mãe, viveu em Nova York de 1946 a 1998, foi acusada de ter matado cinco de seus filhos entre 1965 e 1971. Devido a pouca idade das crianças, os médicos determinaram que elas possam ter morrido de pela Síndrome da Morte Súbita Infantil (Sids). Um advogado do distrito, resolveu fazer uma investigação, que levou Hoyt a confessar os crimes. Ela mais tarde ela negou, afirmando que ela foi coagida a assumir a culpa. Condenada a 75 anos de prisão, acabou morrendo na penitenciaria, em 1998.

 

 

4- Helene Jegado

Helene Jegado era uma empregada doméstica e assassina em série feminina notória. Nascida entre 1803 à 1852, matou até 36 pessoas com arsênico ao longo de um período de 18 anos. A maior parte de suas mortes ocorreram de 1833 à 1841, ela deu um tempo em seu hobby, e voltou a fazê-lo em 1551. Ela era conhecida como a “Prisioneira Pio”. Foi sentenciada a morte por guilhotina.

 

 

5- Gesche Gottfried

Conhecida como ‘Anjo de Breman’ devido ao seu método de cuidar de suas vítimas depois de envenená-las com arsênico, essa notória assassina, esteve ativa entre 1813 à 1827. Gottfried matou seus filhos, pais, dois maridos e uma noiva antes que ela fosse pega. Ela misturava arsênico na comida das vítimas. Foi sentenciada a morte por decapitação.

 

 

6- Amelia Dyer

Amelia Dyer nasceu na Inglaterra e foi condenada por matar apenas uma criança. Não seria motivo suficiente para ela estar numa lista de assassinas em série mais notórias do mundo, no entanto, o nome dela foi associado a muitos outros assassinatos. Ela trabalhou em uma “Fazenda de bebê”, onde mulheres grávidas ficavam para terem seus filhos, no século XIX, em um período de vinte anos, ela matou mais de 400 bebês. Se esta estatística for precisa, ela seria a assassinas em série de maior número de vítimas de todos os tempos, masculinos ou femininos.

 

 

7- Darya Saltykova

Darya Saltykova era uma nobre russa e assassina em série feminina notória. Tendo concentrado a maioria de suas mortes em escravas, Saltykova teve seus assassinados expostos publicamente a pedido de familiares de suas vítimas em 1762. Os pesquisadores encontraram 138 mortes suspeitas ligadas a Saltykova. Ela foi declarada culpada de torturar 38 escravas. E morreu na prisão em 1801.

 

 

8- Elizabeth Bathory

Estando no mesmo nível de comparação com Vlad, o Impalador, Elizabeth Bathory não era apenas uma assassina em série feminina notória, mas ela gerou diversas lendas em torno de seu nome. Descendendo de sangue nobre, Bathory e quatro cúmplices foram acusados ​​de torturar e matar até 650 vítimas, um recorde mundial do Guinness. Sua família a protegia das acusações, no entanto, ela foi jogada em confinamento solitário até a sua morte 5 anos depois de ser presa.

 

PRÓXIMA PÁGINA>>

Um cara estranho que fica na internet o dia inteiro procurando coisas que consigam lhe deixar assustado, tomando vinho e fumando Hollywood.

Comentários no Facebook